Oi pai, oi mãe. Bom dia!

Oi, bom dia. Já acordaram?

Como passaram a sua noite? Bem?

Tiveram bons sonhos? Conseguiram relaxar depois de um dia cheio, depois de tanto trabalho?

Que bom! Fico muito feliz com isso.

É muito bacana poder acordar, dar-lhe um beijo em vocês dois logo pela manhã, encontrar seus sorrisos francos, abertos, sinceros, cheios de amor pra dar.

É muito bacana poder um dia levar o café para os dois na cama.

É muito bacana poder um dia levar vocês pela mão, guiar seus passos, dar-lhes o ombro, contar-lhes histórias, segredos, confidências, como vocês fizeram comigo um dia.

É muito bom saber que um dia eu poderei fazer por vocês o que vocês fizeram por mim uma vida inteira. É muito lindo poder compartir com vocês os meus medos, meus anseios, meus sonhos, minha nova família.

É muito bom mostrar que o que eu recebi de vocês a vida inteira estou podendo dar hoje aos meus filhos, em minha casa. É muito bom saber reconhecer que sem vocês eu não teria tido a capacidade de ser quem eu sou hoje.

É muito importante saber que um dia vocês me receberam em suas vidas, de braços abertos, deram-me amor e carinho, de corpo e alma; deram-me a própria vida, carregando-me consigo durante toda a uma gestação. Sim, os dois, você mãe carregando-me dentro de seu corpo. Você, pai, carregando-me dentro de seus pensamentos, preocupando-se com que tudo estivesse pronto para minha chegada.

É bom saber que após esses nove meses vocês nunca me faltaram.

Aliás, nunca me faltaram nem mesmo quando estavam já no fim de suas jornadas aqui na terra, cada um a seu tempo, e no seu tempo de partida.

É bom saber que que mesmo no fim de suas jornadas, vocês tinham momentos de lucidez e davam exemplo de força e vida, lutando pelo amor que tinham por todos os seus filhos.

Logo no finalzinho, não pude lhe acompanhar, pois estava longe. Durante os momentos finais de ambos, não estive por perto, mas, acreditem, eu sempre estive por perto com o coração aberto, com as lembranças dos momentos lindos, momentos difíceis, momentos importantes, momentos felizes que passamos juntos na infância, na adolescência e na fase adulta de minha vida.

MÃE, PAI…obrigado por terem-me ensinado a viver e a ser hoje uma pessoa de bem.

MÃE, PAI… onde quer que vocês estejam agora, no céu, ao lado de Deus, de mãos dadas, saibam que sinto muito a sua falta, as suas palavras de carinho e incentivo. Sinto a falta de suas lágrimas de felicidade, de amor, de amizade. Sinto a sua falta, todos os dias.

Mãe, Pai, dai-me seu colo, todas as noites, abrandando os meus sonhos, acalentando a minha alma.

Mãe, Pai… UM BEIJO ENORME, de seu filho primogênito.

Dona Tina, seu Antonio (ou Sonô como muitos lhe chamavam) OBRIGADO!

Simplesmente OBRIGADO.

Beijos, eu amo muito vocês dois.

José Antonio, ou para vocês, simplesmente Zé.

Purcino

Publicado em Sem categoria. 2 Comments »

2 Respostas to “Oi pai, oi mãe. Bom dia!”

  1. Rosangela Santos Says:

    Nossa que linda mensagem de amor aos pais…A parte que mais me emocionou e que amei demais foi essa…”É muito importante saber que um dia vocês me receberam em suas vidas, de braços abertos, deram-me amor e carinho, de corpo e alma; deram-me a própria vida, carregando-me consigo durante toda a uma gestação. Sim, os dois, você mãe carregando-me dentro de seu corpo. Você, pai, carregando-me dentro de seus pensamentos, preocupando-se com que tudo estivesse pronto para minha chegada”.Lindo…Lindo…Lindo!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: