A importância da matemática das atitudes.- Álvaro Aoás.

Alvaro Aoás

Alvaro Aoás

Alvaro Aoás, filho, neto e bisneto de comerciantes é o que podemos chamar de um empreendedor nato. Ele tem o DNA do verdadeiro comerciante. Uma pessoa de visão e atitude.

Em trinta anos ele já montou e desmontou mais de 38 negócios, desde pastelaria, sorveteria, confecção, casa de forró até Buffet infantil.

Foi o criador e fundador de um dos locais mais charmosos e famosos de São Paulo, o Café São Paulo, que ficava no Largo Santa Cecília e que fez sucesso na década de 1990.

Aoás recebeu no local desde músicos de jazz, blues e black music, até estrelas da MPB como Dorival Caymmi, Claudete Soares e Jamelão, entre outros.

Eu tive o prazer de entrevistar o Alvaro em meu programa Caminhos de Sucesso no último dia 1 de Março e estou reproduzindo agora, no Blog do Purcino, trechos desta entrevista.

Para ver os dois vídeos da entrevista, completos, acesse nosso site www.caminhosdesucesso.com.br e veja como a história de Aoás se integra à história do centro da cidade de São Paulo.

A seguir, acompanhe alguns momentos desta entrevista:

Blog do Purcino:                Antes de começarmos a falar de sua trajetória é interessante que todos conheçam o seu DNA de empreendedor. Isso vem do seu pai, que tinha um negócio na Rua XV de Novembro…

Alvaro Aoás:              Antes de falar que sou empresário, prefiro dizer que sou bisneto, neto e filho de comerciante, que hoje o pessoal chama de empresário. Meu pai era camelô, meu tio tinha uma loja chamada Porta de Ouro na esquina da Praça da Sé com a Rua Direita.

Meu pai trabalhava com meu tio quando era jovem até que ele se estabeleceu também, teve uma lojinha na Praça da Sé, na XV de Novembro, ficou aproximadamente 50 anos na XV de Novembro, 269, encostada na atual Bolsa de Valores. Até o último dia de sua vida ele trabalhou lá.

Eu, com 6 anos de idade já ia trabalhar com meu pai.

Com isso, peguei gosto pelo centro de São Paulo e em 1980 eu abri meu primeiro negócio na Rua Senador Feijó. Era uma casa de pastel. Dai fui desenvolvendo o negócio e em três anos cheguei a ter 5 locais, todos no centro de São Paulo, na Rua Riachuelo, Rua Senador Feijó, Rua Benjamim Constant, Xavier de Toledo (perto do antigo Mappin), rua 7 de Abril.

Para resumir, antes de reabrir o Bar Brahma eu já havia empreendido em algo em torno de 40 negócios em São Paulo.

J.Purcino e Alvaro Aoás no programa Caminhos de Sucesso - 1 de Março

J.Purcino e Alvaro Aoás no programa Caminhos de Sucesso – 1 de Março

Blog do Purcino:                Como nasceu a ideia de abrir o Café São Paulo?

Alvaro Aoás:                        Em 1.986, minha ex-mulher, mãe de meu filho que hoje é meu sócio queria conhecer a Europa. Eu vendi um carrinho que eu tinha, peguei o dinheiro e fomos para a Europa.

Lá, eu fiquei apaixonado pelos centros das cidades, pelos barzinhos, pelos cafés locais e pensei, caramba, por que o centro de São Paulo não pode ser isso?

Quando eu voltei eu abri em 1991, no Largo Santa Cecília, o Café São Paulo Antigo. Em um espaço de 100m quadrados eu tinha Jazz todas as noites, cheguei a colocar shows do Jamelão, Caymmi, Claudete Soares, Jair Rodrigues. Um sonho que deu certo.

Bar Brahma - São Paulo

Bar Brahma – São Paulo

Blog do Purcino:                E como surgiu a oportunidade de reabrir o Bar Brahma?

Alvaro Aoás:                        Quando o Bar Brahma fechou todo mundo ficou triste. Isso era final de 1.988. Todos os donos de bares ficaram tristes. Na época o Bar Brahma era tido como o sonho de todo dono de bar. Algo difícil de ser alcançado.

No começo de 2.000 eu estava no caixa do Café São Paulo quando fui procurado por um senhor (Sr. Armando, procurador do Estado de São Paulo) que chegou de madrugada, em um carro escuro, com motorista. Estacionaram o carro, ele desceu, foi direto ao caixa e perguntou: –  “Você é o Alvaro, certo?”  – eu falei – “Sou”

Em seguida ele emendou:

“Eu pesquisei todos os donos de bar e só você vai conseguir ressuscitar o Bar Brahma.”

Eu pensei: nossa, duas da manhã, um senhor chega pra mim e fala isso, direto, em rodeios, são, não tinha bebido nada. Eu ainda estava tentando compreender o que estava acontecendo quando ele continuou:

“Olha, eu pesquisei a sua história, a do seu pai, sei da sua história no centro de São Paulo, sei da sua história no Café São Paulo e a cidade não pode ser privada do Bar Brahma. Alguém tem que reabrir esse espaço”.

Eu fui pra casa, fiquei sem dormir aquela noite, meu filho ainda não morava comigo, eu liguei pra ele e disse: – “Filho, eu vou abrir o Bar Brahma”.

Meu filho ainda comentou que eu não tinha como abrir, vinha de um negócio que não tinha dado certo. Não tinha um centavo. Mas aquela conversa ficou martelando na minha cabeça. E eu fui atrás.

Blog do Purcino:                Ai entra a veia do comerciante, do empreendedor. Você conseguiu mostrar aos proprietários do prédio que reabrir o bar era viável.

Alvaro Aoás:                       Verdade. Eu fui atrás de quem eram os donos do prédio onde ficava o Bar Brahma, apresentei o meu projeto de revitalização do local e do seu entorno e, mostrei que seria melhor reabrir o bar do que alugar o prédio para uma Igreja, como era o que estava por acontecer.

O contrato com a igreja estava pronto!

Mas a empresa proprietária do prédio tinha outras propriedades no entorno. Quando eu apresentei o meu projeto eu comentei com eles:

– “A roda da história do centro de São Paulo está em um momento decadente e nós precisamos fazer algo para reverter a roda da história”.

Existiam projetos culturais em São Paulo, mas faltava um que levasse o povo dos bairros a frequentar o centro da cidade novamente.

Eu ainda continue comentando que se eles acreditassem no meu projeto eu provavelmente iria conseguir, por consequência, valorizar também todo o entorno do local e todos os outros imóveis deles. Eles acreditaram no meu projeto, engavetaram o contrato com a Igreja, me deram um bom tempo de carência.

No dia 9 de Janeiro de 2.001 eu reinaugurei o Bar Brahma.

Uma festa. Mas daí começou a luta.

Blog do Purcino:                Começa a luta e os causos interessantes, como o do seu amigo que se perdeu para ir ao Bar.

Alvaro Aoás:                       Ai sim a coisa começou a acontecer e nosso desafio era descobrir como iríamos tirar as pessoas de sua casa para ir ao centro de São Paulo que era inseguro, sujo, sem transporte, muito lixo… Ninguém ia para o centro de São Paulo.

Tem o caso de um amigo meu que, em um dos primeiros eventos que eu fiz no Bar ligou pra mim e disse:

“Eu quero te agradecer  porque você me convidou para ir a um evento no centro de São Paulo e eu me perdi. Eu não consegui chegar. Eu tenho 40 anos de idade e eu nunca tinha ido ao centro de São Paulo. Ao me perder, eu me achei. Eu conheci o centro de São Paulo”.

Blog do Purcino:                Agora, é mais difícil ressuscitar um local do que dar vida a um local novo, certo?

Alvaro Aoás:                       Sim, verdade. Precisamos fazer uma pesquisa, onde estabelecemos os três pilares de trabalho para buscar as pessoas de volta para o centro.

Os pilares são, até hoje: a Tradição, a Música e o Chopp.

A Tradição para nós é tocar no íntimo das pessoas no sentido de vestir a camisa da cidadania e da cidade de São Paulo. Falar:

– “Eu vou para preservar, eu vou para ajudar, eu vou para frequentar, pois esse projeto não pode morrer”.

A Música é a música. A gente está falando de artistas do naipe de Demônios da Garoa, Cauby Peixoto, Elza Soares, Ângela Maria, o Jamelão que fez dois anos e meio de temporada.

Ele fez o último show dele no palco do Bar Brahma. Com 94 anos ele subia no palco com dificuldade, sentava e soltava aquele vozeirão e depois de duas horas e meia e ainda falava que ia parar porque os músicos já não aguentavam mais (risos).

Alvaro Aoás - Determinação

Alvaro Aoás – Determinação

Blog do Purcino:                Vocês conseguem dar o tom chique, moderno, vibração, glamour e dá um toque democrático também. Como?

Alvaro Aoás:                        Acho que o correto é começar pelo democrático. O democrático faz esse chique fazer-se acessível, faz o bar ser popular. Você vê no mesmo ambiente o bancário e o banqueiro. Se alguém sair de um casamento e falar que vai ao Bar Brahma de black-tie, ele vai. Alguém está andando de bicicleta no entorno e resolve ir para o Bar Brahma, ele vai.

O Bar Brahma não segmenta o público.  A segmentação mais ampla é do boêmio de verdade. É aquele cara que gosta de bar mesmo, gosta de tomar um chopp, gosta de bater papo.

Você vai numa feijoada em um sábado a tarde são 1.000 pessoas que vão ao bar. Por mais que tenha um ambiente imponente, com um pé direito muito alto, ele consegue ser democrático.

Uma vez o Jaguar, o cartunista, esteve no bar ao meio dia. Enquanto me esperava ele olhava o local. Quando cheguei ele me perguntou:

– “Quantos anos tem o Bar Brahma?”

Eu respondi:  “59 anos”.

Ele respondeu: “Nossa, 59 anos com corpinho de 100”

Blog do Purcino:                Como está o projeto de expansão do Bar Brahma. Está expandindo para o Brasil inteiro?

Alvaro Aoás:                       Meu projeto hoje é manter o Bar Brahma centro com a qualidade de atenção, com o brilho da tradição, da história de São Paulo, fortalecer o local para os eventos grandiosos que vem por aí e preparando o Bar Brahma para ser um dos pontos de passagem obrigatória quando alguém estiver em  São Paulo.

Alvaro Aoás - Visão

Alvaro Aoás – Visão

Blog do Purcino:                Vocês vão adequar o Bar Brahma para os grandes eventos, passar os jogos. Isso não vai descaracterizar o bar?

Alvaro Aoás:                        Não vai descaracterizar não. As pessoas hoje não saem de casa para comprar bebida ou comprar comida. As pessoas buscam uma experiência diferente.

A boa experiência não tem preço!

Eu treino o meu pessoal dizendo que a gente tem que entregar os 5 sentidos junto com os 3 Cs (Cultura, Culinária e Chopp).

Agora, mais do que isso, temos que ir além do que os cinco sentidos, que é o ENCANTAMENTO. O cliente tem que se arrepiar quando vai ao Bar Brahma e encontra algo novo, sempre.

Hoje tem gente jovem indo e lotando o local em uma segunda-feira. Tem jovem indo assistir a show do Cauby Peixoto, da Ângela Maria, da Elza Soares.

Tem jovem indo assistir musica feita por jovem também.

Hoje tenho mais de 140 shows. Cada um entre 2 a 2h30 de música, temos aproximadamente 500 horas de música por mês.

Blog do Purcino:                Fale sobre a importância da matemática da atitude?

Alvaro Aoás - Atitude

Alvaro Aoás – Atitude

Alvaro Aoás:                        Um projeto eu considero sempre no mínimo 10 anos. Imagina se em 10 anos você tiver uma atitude firme, você terá só 10 atitudes com chance de êxito.

  • Se você tiver 10 por mês, você teve 120 atitudes no ano.
  • Se você tiver uma atitude por dia, você teve 3.650 atitudes.
  • Se você tiver 10 atitudes por dia naquilo que você tem que fazer, você terá mais de 36.000 atitudes.

Imagina na soma de 10 anos o que isso fará de diferença para o sucesso de seu negócio.

E o que eu chamo de atitude é o ato de você transformar o que está dentro de você em realidade, em ação efetiva. Não o que está fora.

Claro que fazendo assim, conduzindo tudo com bom senso, com segurança, com foco, você conduz a sua história.

Isso é o ato de FAZER, MUDAR O RUMO DAS COISAS.

Blog do Purcino:                Uma frase para encerrar a nossa entrevista.

Alvaro Aoás:                        Para ajudar, tem que frequentar. Para manter vivos os espaços tradicionais de sua cidade você tem que frequentar.

O paulistano não é só aquele que nasceu aqui, mas o que vive de e para a cidade de São Paulo.

Nós temos paulistanos de todos os lugares do mundo.

Logo:

– “FREQUENTE”

– “APOIE”

– “PARTICIPE”

– “OCUPE OS ESPAÇOS PÚBLICOS”

Acompanhe a entrevista completa do Alvaro Aoás pelo site www.caminhosdesucesso.com.br, acessando nossa homepage.

Esta é uma transcrição adaptada da entrevista realizada no programa Caminhos de Sucesso que foi ao ar no dia 1 de Março

José Antonio Purcino

Uma resposta to “A importância da matemática das atitudes.- Álvaro Aoás.”

  1. Caminhos de Sucesso Says:

    […] “Usando a matemática das atitudes, não tem como não obter bons resultados.” – Alvaro Aoás […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: