O Sucesso do Bar do Baixinho – Entrevista com o Baixinho – Programa Caminhos de Sucesso

Eu recebi em meu programa Caminhos de Sucesso, no dia 25 de Janeiro, dia do aniversário de São Paulo, um jovem empreendedor que chegou em São Paulo no ano de ….. a passeio, gostou, começou a trabalhar, tornou-se sócio em um bar e hoje é o dono de seu próprio negócio.

Proprietário do Bar do Baixinho

Proprietário do Bar do Baixinho

Estou falando do Manoel Aranilton Queiroz, mais conhecido como Baixinho.

Vamos conhecer um pouco da história de sucesso do Baixinho no nosso programa.

Blog do Purcino:                 Baixinho, onde você nasceu e o que você fazia na sua terra natal até decidir vir para São Paulo?

Baixinho:                              Eu nasci em uma cidade no interior do Rio Grande do Norte em uma cidadezinha pequena chamada Doutor Severiano, uma cidade nova, que está fazendo 51 anos agora. Vim muito jovem para São Paulo a passeio visitar meu irmão que trabalhava aqui em São Paulo no Bar do Elias, que hoje já não existe mais.

Lá eu conhecei um vice-presidente do Corinthians que tinha um bar e estava com falta de pessoal e que era amigo do Elias. Os dois conversaram, o Elias me indicou e eu fui trabalhar com o Elvis no bar e acabei ficando lá quase 14 anos.

Nesse bar eu comecei dando uma força a todos, lavando copos, tirando as mesas, ou seja, era o auxiliar do auxiliar do garçom, que tem em todos os bares e restaurantes. E isso não foi demérito nenhum… eu aprendi muito. Estamos falando de 1.989

Blog do Purcino:                 Baixinho, tentando fazer as contas aqui você deve ter 44 anos de idade.

Baixinho:                              Eu nasci em 1.969 e nunca tive medo do trabalho. Sempre fui um batalhador, não tinha horário nem trabalho que me desse medo.

Blog do Purcino:                 E como você começou a crescer no trabalho? Acredito que deve ter treinado muito.

Baixinho:                              Realmente. Eu sempre me interessei por esse tipo de negócio e, dentre todas as atividades, eu sempre me interessei em aprender como tirar um bom chopp para os clientes. Daí fui fazer alguns treinamentos na Brahma, visitei a fábrica deles.

Blog do Purcino:                 Falando sobre isso, soube que com esse treinamento e essa vontade de sempre fazer o melhor, você hoje é considerado um dos melhores tiradores de chopp de São Paulo?

Baixinho:                              Foi aberto um projeto pela Brahma chamado Os Reis do Colarinho e escolheram para participar os melhores chopeiros de São Paulo. Estou falando do ano de 2.000

Eu fui acompanhar um rapaz chamado Milton que havia sido indicado pela Brahma. Ele me inscreveu no curso, eu fiz todo o treinamento e acabei recebendo o diploma com louvor. Ou seja, quando tem que ser seu, ninguém tira.

Entrevista no Programa Caminhos de Sucesso

Entrevista no Programa Caminhos de Sucesso

Blog do Purcino:                 Deixando a modéstia de lado, você é hoje o melhor tirador de chopp de São Paulo?

Baixinho:                              Eu, sinceramente, me considero um dos melhores tiradores de chopp de São Paulo.

Blog do Purcino:                 Quais são as dicas principais para ser um bom tirador de chopp, seja no bar ou em festas com a família?

Baixinho:                              Existem algumas dicas importantes.

a) O copo tem que estar super limpo e se possível gelado, dependendo da chopeira que estiver usando.

b) O gás precisa estar bem regulado, assim como a chopeira.

c) O barril tem que estar muito bem gelado, não depender só do gelo da serpentina.

d) Estar consciente que tem um pouco de perda, para ter o colarinhos de quatro dedos que é essencial.

Tem que estar consciente que de cada 50 litros você vai perder de 3 a 4 litros.

Baixinho e o melhor chopp Brahma da região

Baixinho e o melhor chopp Brahma da região

Blog do Purcino:                 Tem gente que, nas festas diz:  O chopp é comigo, eu sou o que sabe tirar o melhor chopp! Afinal, quanto tempo você demorou para chegar aonde você chegou?

Baixinho:                              Aprender mesmo a gente nunca aprende. Eu estou sempre vendo a qualidade do que estou fazendo e tentando melhorar para atender aos clientes. Não tem tempo estimado. É a experiência e a prática diária.

Blog do Purcino:                 Como e quando você decidiu deixar de ser empregado e passar a ser dono do seu próprio negócio?

Baixinho:                              Foi em 2003 que eu conheci um cliente chamado Ricardo que sempre comentou que gostaria de abrir um bar. Sabendo disso, eu o convidei para abrir um bar comigo na Lapa, onde hoje é o Bar do Baixinho. Cada um de nós dois entrou com 50% do capital e com o trabalho.

Blog do Purcino:                 Isso significa que com o seu trabalho de todos aqueles anos você já havia feito uma ótima poupança para abrir o seu próprio negócio?

Baixinho:                              Sim, e foi isso que me ajudou a abrir o meu próprio negócio. Ter a minha própria poupança.

Blog do Purcino:                 Novamente fazendo a conta do tempo, foram mais de 11 anos guardando dinheiro do seu trabalho como empregado até poder investir e abrir o seu próprio negócio. E depois, como foi ver o negócio do outro lado da mesa, como patrão?

Rua Clélia, esquina com Rua Duílio - Lapa

Rua Clélia, esquina com Rua Duílio – Lapa

Baixinho:                              É mais difícil. Como empregado a visão é uma, tem que fazer o melhor para o cliente. Como empreendedor a gente tem que insistir sempre, ser perseverante, avaliar o negócio, ver o que está dando certo, o que deu errado, tem a concorrência que está de olho em você e, por consequência, você não pode perder a concorrência de vista.

Outra coisa é manter o negócio no mesmo lugar para tornar-se conhecido.

O meu sócio, depois de um determinado tempo ofereceu-me sua parte na sociedade e eu comprei, e hoje sou o único dono do Bar do Baixinho.

 

 

 

Blog do Purcino:                 Quando a gente vai ao Bar do Baixinho a gente sente uma harmonia muito grande entre patrão, empregado e cliente. E você tem também familiares trabalhando no Bar.

Baixinho:                              Sim, eu tenho trabalhando no bar a minha esposa que está no negócio a uns 6 anos, o meu irmão que está comigo a 10 anos. Agora, todos, parentes ou não, são registrados em carteira. Não tem ninguém trabalhando com contrato verbal. Isso não dá certo.

E isso é bom porque depois de trabalhar mais de 20 anos de 12 a 14 horas por dia, hoje o trabalho pode ser dividido com pessoas de minha inteira confiança. Veja, eu levei mais de 10 anos para abrir meu negócio e já vão outros 10 anos com o Bar do Baixinho. Expandir o negócio é o próximo passo.

Blog do Purcino:                 Eu percebo quando vou ao seu Bar que vem muita gente de fora, não somente moradores ou trabalhadores da região. Estou certo?

Baixinho:                              Sim. Tem gente que vem da zona norte, zona sul, do Alphaville, Campinas, São Bernardo, Jundiaí. Quando a gente oferece um bom serviço, tem uma comida de qualidade e o Chopp Brahma bem tirado e bem gelado, ai ninguém deixa de voltar. Sempre vai indicar para um amigo. A propaganda boca a boca é importante.

Agora com a lei seca muitos trazem seus motoristas e temos um ponto de táxi bem em frente, além de termos contato com cooperativas de táxi para que todos possam ficar mais a vontade e disfrutar do ambiente, da comida e do bom Chopp Brahma.

E outra coisa, os meus colaboradores sabem quem gosta do que, qual mesa gosta de usar, qual prato e como prefere que seja o preparo. Isso é treinamento. Muito treinamento no dia a dia, trabalhar a percepção, não só o sorriso.

Blog do Purcino:                 Quem quer assistir um bom jogo também pode ir lá. Você tem várias TVs de plasma. Finais de campeonato, como fazer para dividir as torcidas?

Baixinho:                              Eu nunca tive esse problema. Como é um bar já muito conhecido, quem frequenta já se tornou amigo ou já se viu alguma vez. Então não dá problema. Até em final entre Corinthians e Palmeiras eu não tive problema.

Canapés com um chopp Brahma bem gelado.

Canapés com um chopp Brahma bem gelado.

Blog do Purcino:                 Quais são os pratos mais pedidos pelos seus clientes?

Baixinho:                              Hoje o carro chefe é o Galeto, a Picanha, o Bife de Chorizo Ancho.

Como porções tem os canapés, a Isca de Peixe, Picanha no Rechaud, o Frango a Passarinho, que é uma porção muito bem servida.

NR: Por falar em frango a passarinho, eu fiquei cliente do Bar do Baixinho por causa desse prato. A porção é bem generosa, feito com um tempero especial, crocante, e com pedaços suculentos. Como sou fanático pelo prato, adorei e fiquei. (Purcino)

A isca de peixe empanada também é deliciosa e, recentemente, saiu na Folha de São Paulo uma reportagem como o melhor Chopp da zona Oeste de São Paulo.

Blog do Purcino:                 Muita concorrência, muita gente tentando fazer mais, mas não consegue. Qual é o segredo?

Baixinho:                              Qualidade da comida, do atendimento, do chopp. Muita gente pergunta se o Chopp Brahma que sirvo no bar é o mesmo que é servido em outros locais. (risos…)  Claro que é o mesmo. O segredo é como tirar o chopp, e isso a gente não ensina… São anos de experiência. É o nosso know-how.

Blog do Purcino:                 Você pretende expandir o seu negócio?

Baixinho:                              No momento não. A marca já é patenteada, já pensei em abrir franquias. Mas ainda é uma ideia. Talvez no norte do país eu abra uma filial, ou em São Paulo. Mas ainda não é o momento.

Blog do Purcino:                 Meus amigos, eu apresentei hoje a história de um jovem empreendedor, um lutador, uma pessoa que veio à São Paulo para passar férias, visitar a família, começou a trabalhar em um bar em uma função simples, lavando copos, e hoje é dono de um bar conhecido e reconhecido em São Paulo, já saiu em várias reportagens nos principais jornais de São Paulo.

Fidelidade à marca e treinamento é o segredo do sucesso.

Fidelidade à marca e treinamento é o segredo do sucesso.

Outro fator importante de seu sucesso, como acompanhar na entrevista, é o seu cuidado com a qualidade do serviço prestado, qualidade da comida, da limpeza do local, da imagem do negócio e da sua própria, pois o negócio leva o seu nome.

Um item também importante é a fidelidade à marca. Aprendeu, treinou, persistiu e marcou na mente de seus clientes lá encontraremos o melhor Chopp Brahma da região.

Essa fidelização garante também o sucesso do negócio.

 

Parabéns Aranilton pelo seu sucesso.

Parabéns Baixinho e todos seus colaboradores pelo sucesso de vocês.

Publicado por J.Purcino, uma interpretação da entrevista do Baixinho no Programa Caminhos de Sucesso que foi ao ar no dia do aniversário de São Paulo, como homenagem aos empreendedores que fazem essa nossa cidade.

Todos os direitos reservados para Nacar Comunicação, Treinamentos e Sistemas de Performance.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: