Entrevista com Cris Carniato – Programa Caminhos de Sucesso – 1 de Fevereiro

Cris Carniato, atriz, compositora, cantora e produtora de teatro.

Cris Carniato, atriz, compositora, cantora e produtora de teatro.

Cris Carniato, atriz e cantora profissional, teve a sua formação como atriz na Oficina de atores Nilto Travesso onde estudou durante 3 anos, finalizando o curso no ano de 2.006.

A Cris atuou em espetáculos como “O Telescópio”, “O automóvel do inferno”, “O Urso” e “Um bonde chamado desejo”.

Em 2.008 a Cris Carniato foi quem deu vida à personagem Carol na novela “Amor e Intrigas” da rede Record. Já em 2.009 atuou como a personagem Marlene na minissérie da rede Globo, “Maysa – Quando fala o coração” 

Como cantora, teve a sua formação na escola de música Voices, além de especializações com profissionais como Tuti Baé e Luise Paltroniere da Universidade Maringá.

Em sua carreira solo apresentou-se em casas noturnas no Brasil e no México, tendo participado também de 2.001 a 2.003 do grupo musical NIX, contratados da BMG.

E não parou por aí. Em sua formação constam ainda cursos de interpretação para cinema com Fernando Leal e de teledramaturgia, com Sininha de Paula.

Realizou vários trabalhos para campanhas publicitárias. As principais foram para a Seda Shampoo, Claro, Bavária Premium, Fiat Palio, O Boticário, Bacardi, Bradesco, Pepsi, entre outros.

No cinema a Cris participou do curta-metragem “Noir”, dirigido por Diego Ruiz e Helton Ladeira, participantes do Festival de Cannes.

Eu recebi a Cris Carniato em meu programa Caminhos de Sucesso no dia 2 de Fevereiro, quando ela falou sobre essa vida intensa na área artística e também nos mostrou o seu primeiro trabalho solo como compositora e cantora.

Você poderá acompanhar o vídeo da entrevista pelo link http://mais.uol.com.br/view/14273578

Blog do Purcino:               E para começar, melhor ouvir da própria Cris Carniato, um resumo do inicio da sua carreira.

Cris Carniato:                     Bom, em primeiro lugar, Cris Carniato é meu nome artístico. Meu nome verdadeiro é Cristiane Carniato, sou do interior do Paraná, canceriana, muito sensível, choro com facilidade (risos) e, como várias pessoas da área, para trabalhar com arte no Brasil tem que ter muita garra.

J.Purcino e Cris Carniato no programa Caminhos de Sucesso - 1 Fevereiro 2013

J.Purcino e Cris Carniato no programa Caminhos de Sucesso – 1 Fevereiro 2013

Blog do Purcino:               Como você começou sua carreira?

Cris Carniato:                     Eu sempre gostei muito de trabalhar com teatro desde pequena.  Comecei cantando na Igreja, até que um dia, muito jovenzinha, fui convidada para participar de um concurso de Miss na cidade de Maringá. – Ganhei. Eu nunca imaginei que poderia ganhar. Inclusive estava segura que ia pagar um mico danado no concurso. – Mas encarei e fui. E deu certo.

E arrisquei porque eu sempre tive vontade de trabalhar como atriz. Sempre que eu pensava o que vou fazer de minha vida, qual vai ser minha profissão, eu sempre tinha, como uma das opções sempre foi a de ser atriz.

Agora veja, jovem, morando em Maringá, distante dos grandes centros, eu sabia da dificuldade de alcançar esse sonho. Daí pensei… vou encarar o concurso de Miss. A partir desse concurso começaram a surgir as oportunidades.

"Decidi tentar a carreira em São Paulo"

“Decidi tentar a carreira em São Paulo”

Blog do Purcino:               Você decidiu então vir para São Paulo.

Cris Carniato:                     Sim. A oportunidade apareceu e eu agarrei. Fiz um curso em Maringá e vim para São Paulo onde eu comecei a trabalhar com a música, sendo integrante do Grupo Nix, que na época seguia o conceito de grupo musical formado por várias meninas, todas contratadas da agência Elite.

Fizemos CD, fomos contratadas da BMG, fizemos vários shows, participamos de vários programas de TV.

Paralelo a isso a minha carreira de modelo foi acontecendo.

Blog do Purcino:               Você trabalhou por um período no México também.

Cris Carniato:                     Morei lá por uns tempos, trabalhando como modelo. Desenvolvi também uma carreira como cantora.

Surgiu a oportunidade de cantar acompanhada da banda da casa de show “Don Quindin”, muito conhecida na Cidade do México. Amei esse país, sua cultura, comidas, pessoas e a experiência de morar e trabalhar em outro país me deixou muito confirante.

Depois desta experiência voltei ao Brasil e fui estudar artes cênicas. Estudei fazendo o curso de artes cênicas do Nilto Travesso.

Blog do Purcino:               Com o estudo a carreira decolou?

Cris Carniato:                     A partir daí minha carreira deslanchou. Fiz muitos comerciais, viajei para os Estados Unidos, viajei

Muitos trabalhos, muita alegria, venci!

Muitos trabalhos, muita alegria, venci!

para Paris fazendo desfiles, sempre mesclando carreira de modelo e de atriz.

A cantora Cris Carniato foi ficando de lado.

Em 2.008 interpretei a Carol na novela “Amor e Intrigas” da rede Record.

Em 2.009 atuei na minissérie da rede Globo, “Maysa – Quando fala o coração”, fazendo a personagem Marlene.

Interpretei também, com uma participação especial, o personagem Viviane na novela “Insensato Coração”, contracenando com Lázaro Ramos.

De 2.009 a 2.012 fui contratada como apresentadora da programação Sky.

Blog do Purcino:               Quando você decidiu voltar a cantar?

Cris Carniato:                     Depois de atuar em tantos comerciais, novelas, filmes, eu estava realmente sentindo falta de cantar. Só que eu não queria ser somente interprete, cantando tantas músicas bonitas como temos no Brasil, mas sim cantar algo que eu tivesse escrito, cujo sentimento tivesse saído de dentro de minha alma, meu coração. Foi aí que comecei a escrever, comecei a compor.

Resolvi compor, interpretar e produzir meu próprio CD.

Resolvi compor, interpretar e produzir meu próprio CD.

Blog do Purcino:               Quanto tempo levou entre escrever suas composições e gravar sua primeira música e iniciar o projeto de seu primeiro disco?

Cris Carniato:                     Aproximadamente 3 anos. Comecei a produzir o material, o disco, acertei muito, errei muito também, mas agora já tenho o material pronto para a gravação do CD, que estou finalizando a produção.

Essa primeira música que estou trabalhando agora se chama “O Sol”.

Essa música fala da esperança, de coisas positivas, da alegria, da possibilidade de alcançar o que se quer.

A composição é minha e os arranjos são do Fred Maran.

Blog do Purcino:               Além de tudo o que você faz você acha tempo também para fazer um trabalho voluntário junto ao Elo Solidário.

Cris Carniato:                     O Elo Solidário é uma associação beneficente. O Elo Solidário une as ações de várias associações, empresas, ONGs, dando oportunidade para que os projetos sejam realizados buscando os apoios necessários para tal.

Como isso é feito? Vou dar um exemplo real. Em Baurú temos o Projeto Futuro que dá curso de natação de crianças com o apoio do grupo Multi Cobra. Essas crianças são selecionadas e enviadas para o nosso CA (Centro de Apoio) onde ministramos cursos de informática, inglês, espanhol, oficinas, palestras e “orientação” jurídica e psicológica!

As crianças que mais se destacam são encaminhadas para seu primeiro emprego com as empresas parceiras. Estamos ainda no início mas avançando a passos largos.

Blog do Purcino:               Quais são os seus planos para cinema e teatro?

Cris Carniato:                     Acabou de ser aprovado na Lei do Incentivo Rouanet e vamos começar a produzir a peça de teatro “Entre paredes escuras”.

Alegria da Cris Carniato contagiou o set do programa.

Alegria da Cris Carniato contagiou o set do programa.

A peça foi escrita por meu irmão Rogério Carniato com direção de Sergio Milagre.

No cinema estou com o projeto “Amor na Serra” um filme que contará a história de Dora Lygia, que acontece em Campos do Jordão, e eu vou dar vida à própria Dora Lygia. Uma mulher muito importante na região nas décadas de 50 e 60.

A direção é do Dimas Oliveira Júnior, uma pessoa e profissional fantástico.

A filmagem começa agora em 2013 e provavelmente estará nas telas em 2014.

NR:                Essa história é realmente fascinante. A Cris é uma lutadora, uma amante da arte, uma pessoa que tem em sua alma, sentimento puro.

Essa matéria é uma transcrição interpretativa da entrevista da Cris Carniato no programa Caminhos de Sucesso que foi ao ar na TV Geração Z, no dia 2 de Fevereiro de 2.013

Copyrights de Nacar Comunicação, Treinamento e Sistemas de Performance.

Todos os direitos reservados

Anúncios

Entrevista com Michelle Meleck – Programa Caminhos de Sucesso – 1 de Fevereiro

Momento beleza, momento energia no programa Caminhos de Sucesso do dia 1 de Fevereiro.

Um mês dedicado às mulheres que fazem sucesso, que são empreendedoras e que tem muita visão de negócio.

Michelle Meleck Fundadora da Live Estética

Michelle Meleck Fundadora da Live Estética

E para abrir a série convidamos Michelle Meleck, profissional na área de comunicação formada em Relações Públicas e que no ano de 2000 descobriu-se uma apaixonada pelo mundo da Beleza e Estética. Fascinada com as coisas que descobriu viu que era possível fazer muita coisa para elevar a autoestima das pessoas. Por isso, desenvolveu um planejamento estratégico trazendo novas tecnologias em prol da beleza, saúde e estética para a extinta Clínica Vanity.

A sua história de vida e empreendedorismo é emocionante e cheia de realizações. Convido vocês a conhecerem um resumo desta entrevista, que também poderá ser vista em vídeo seguindo o link  http://mais.uol.com.br/view/14273587

Blog do Purcino:               Quem é Michelle Meleck?

Michelle:                              Eu diria que eu sou uma faz tudo hoje em dia. Além da minha paixão pela minha clínica Live Estética eu ainda sou mãe, tomo conta da casa, pesquiso novidades no mercado internacional e no mercado nacional sobre beleza e estética para trazer aos meus clientes e parceiros e, além disso, diariamente eu passo dicas aos nossos internautas sobre qualidade de vida, dietas, sucos e muitos outros temas relacionados aos cuidados com o corpo e a beleza.

Blog do Purcino:               Essa paixão sua começou com a Clínica Vanity? A clínica era sua ou você foi contratada para profissionalizar a clínica?

Planejamento e Desenvolvimento

Planejamento e Desenvolvimento

Michelle:                              Em 1998 eu fui convidada pelos dois investidores proprietários da clinica para auxilia-los no planejamento e posicionamento da empresa no mercado. Eu também não era da área, mas sempre me interessei pelo tema e durantes minhas viagens internacionais via as novidades e pensava… “Isso não tem no Brasil, que bom seria levar e mostrar ao público o que melhor existe na área” –  Trazer essas técnicas para o Brasil sempre foi o meu desejo, pois São Paulo, cidade onde moro, tem potencial para um negócio nesse segmento de mercado.

NR:                                        O bom de São Paulo é isso. Temos que ter a percepção de encontrar um bom negócio e a capacidade e ousadia de investir capital e tempo neste negócio. Sem esquecer o planejamento.

Blog do Purcino:               Durante esse período aconteceu um fato interessante que foi o de ter sido a clinica Vanity a responsável por retirar uma tatuagem da Kelly Key, e isso alavancou bem o negócio. Isso é a união da oferta do negócio com a oportunidade do mercado.

Michelle:                              Sim, nossa clínica era a única que tinha uma máquina a lazer para esse tipo de intervenção. Esse lazer fazia depilação, tratamento para rejuvenescimento e também removia tatuagens. Na época a Kelly tinha se separado do cantor Latino e precisa retirar uma foto dele que ela havia tatuado. O empresário dela ficou sabendo da clínica e nos procurou. Foi uma época em que ela estava no auge. Havia acabado de fazer um ensaio para a Playboy, sua música era um sucesso nas rádios e televisão.

No dia da consulta percebemos um tumulto na rua, o CET fechando cruzamentos, vários carros de imprensa escrita, falada e televisa na porta da clínica. Todos dando destaque à ela e à clinica também.

A partir daí eu comecei a ser procurada para dar entrevistas, depoimentos, dica em programas, até ter participação fixa em um programa.

O importante é levar em conta que a 13 anos atrás quando eu comecei a estética era muito restrita, tanto na questão de variedades de tecnologia e cosméticos quanto ao público, pois é muito caro. Tudo era importante, tanto os equipamentos como os medicamentos.

Nestes últimos anos o Brasil teve um crescimento muito grande, industrias locais começaram a investir em pesquisas na área e a desenvolver os equipamentos nacionalmente barateando muito os investimentos neste segmento.

Com os programas de TV passamos a ser procurados por clientes do Brasil inteiro.

Michelle, destaque na Revista Forbes, Edição número 3

Michelle, destaque na Revista Forbes, Edição número 3

Blog do Purcino:               Com todo esse trabalho de sucesso, de iniciativa e por ter saído na frente, você foi destaque no premio de Mulheres Mais Influentes do Brasil, na 3ª. Edição da Revista Forbes. Conte-nos essa passagem.

Michelle:                              A revista fez uma reportagem sobre empreendedorismo. O tema era relatar ao público como eu havia conseguido esse destaque para a empresa em tão pouco tempo.

Isso porque já naquela época tínhamos um Day Hospital com um mini centro cirúrgico para pequenos procedimentos.  Essa parceria com o Dr. Marcelo Forlan nos permitiu realizar trabalhos estéticos rápidos, seguros e com excelentes resultados. A Forbes soube disso e me procurou para contar essa história e mostrar a efetividade do que fazíamos na clínica.

Blog do Purcino:               Vamos focar agora a Live Estética. Quando você projetou e qual é o foco dela?

Michelle:                              De 2007 a 2009 eu fiquei fazendo consultorias para clínicas. Os empreendedores começaram a ver esse mercado como um grande negócio para investimentos e me procuravam para dar orientações a respeito.

Montei o escritório para consultoria dirigida às clinicas de estética, ao qual dei o nome de Estética Avançada. Na época inclusive o meu slogan era: Chegou a hora da sua clínica entrar em forma. – Eu comecei a prestar essa assessoria mas ai aconteceu um fato interessante. Meus clientes antigos ligavam para mim pedindo orientações e indicações de onde ir para continuarem seus tratamentos estéticos. Eu indicava uma, duas, três clinicas, mas não era a mesma coisa.

NR:                                        Aí começam os problemas de indicar o serviço de fulano, ciclano, mas geralmente o resultado não é o mesmo esperado quando o tratamento era feito por você ou com sua supervisão técnica. Nesse momento a gente toma a decisão de fazer a gente mesmo o que está indicando para os outros fazerem.

Michelle:                              Isso realmente aconteceu. No final de 2009 eu estava fazendo uma consultoria para uma clínica no norte fluminense em Campos dos Goitacazes.

Live Estética

Live Estética

 

O cliente ouvia as ligações e me ouvia dando as indicações. Ele nesse momento comentou que eu deveria abrir a minha própria clínica. Foi daí que surgiu a Live Estética.

Decidi então criar um conceito. A Live Estética é uma clínica com uma estrutura bem enxuta o que faz com que os preços sejam bem acessíveis. Estamos em um prédio comercial com toda segurança e facilidades de estacionamento possível.

Isso também garante a privacidade e a possibilidade de relaxamento necessário para esse tipo de tratamento.

 

Blog do Purcino:               E como é a frequência masculina na clínica? Você ainda percebe o preconceito com o cuidado estético por parte dos homens?

Michelle:                              Lá no inicio do meu trabalho os homens ligavam pedindo informações sobre os nossos serviços e falavam baixo pelo telefone. Incrível!!!

Pediam um horário de baixo movimento na clínica e também serem atendidos em um local mais reservado. Tinham receio de serem reconhecidos.

NR:                                        Quando eu vivi no exterior, em países como Alemanha, Malásia, Austrália, eu convivi muito com esse tipo de tratamento. Aprendi nesses países a importância do cuidado com a pele, com o corpo e com o nosso stress. Fiz tratamentos desde esfoliação de pele até a limpeza facial. Só não fiz a depilação da barba pois uso barba. (risos)

Michelle:                              Hoje usamos um termo denominado Tecnologia Cosmética. Para esse tratamento facial que mostramos no vídeo usamos proteínas que vem do bicho da seda e que funciona, entre todas as suas funções, como um antioxidante também.

O pó é preparado na hora, na dose certa e necessária para cada cliente. As plaquinhas que colocamos sobre a pele são placas de papel de seda.

Esse tratamento é muito necessário pois a pele do rosto fica 365 dias do ano exposta ao Sol. Logo, os poros do rosto acabam virando depósito de lixo.

J. Purcino e Michelle Mekeck - Programa Caminhos de Sucesso (1/2/2013)

J. Purcino e Michelle Mekeck – Programa Caminhos de Sucesso (1/2/2013)

Blog do Purcino:               Fala sobre a relação dos tratamentos da sua clínica vs o stress dos executivos (e executivas) no trabalho?

Michelle:                              Nós atendemos várias empresas com nossos planos corporativos. Tem homens que vão à clínica uma vez por semana.

Quando você se olha no espelho e nota que seu rosto, sua aparência, sua energia está aflorando, isso dá mais condições de você realizar o seu trabalho de forma mais tranquila, mais alegre. Dá capacidade e poder de realização a você.

Blog do Purcino:               Quais são os tratamentos mais procurados pelos homens?

Michelle:                              O primeiro é a depilação a lazer de barba na parte de baixo, no pescoço. No ato de fazer a barba todos os dias tem homens que possuem a pele muito sensível, problemas de pelo encravado, entre outros. A depilação ajuda a eliminar esses problemas. Outros buscam a depilação completa da barba.

O segundo serviço mais procurado são as massagens. é o Cellutec. Um equipamento que relaxa, trabalha toda a musculatura, ajuda na circulação do sangue e também promove uma drenagem linfática.

Blog do Purcino:               Quais são os seus planos para a Live Estética? Vai partir para a abertura de filiais ou franquias?

Michelle:                              Eu tenho participado de reuniões no SEBRAE. Estou analisando essas possibilidades porque a procura é muito grande. Existe sim a possibilidade. Estamos em fase de estudos de viabilidade.

O meu limite já ultrapassou o limite do Céu.

O meu limite já ultrapassou o limite do Céu.

 

Muita gente diz:  “O céu é o meu limite” – eu digo que “.. o Céu não é o meu limite já faz muito tempo.” Eu quero ir além.

E com essa frase de otimismo e visão de negócio a Michelle finalizou a nossa entrevista. Um recado direto a todos que tem seu sonho e já implantaram o seu negócio. O limite só existe na cabeça de cada um.

 

 

Essa é uma transcrição interpretativa da entrevista de Michelle Meleck para J.Purcino no programa Caminhos de Sucesso, realizada no dia 1 de Fevereiro de 2013.

Copyrights Nacar Comunicação, Treinamento e Sistemas de Performance.

Todos os direitos reservados.

 

O Sucesso do Bar do Baixinho – Entrevista com o Baixinho – Programa Caminhos de Sucesso

Eu recebi em meu programa Caminhos de Sucesso, no dia 25 de Janeiro, dia do aniversário de São Paulo, um jovem empreendedor que chegou em São Paulo no ano de ….. a passeio, gostou, começou a trabalhar, tornou-se sócio em um bar e hoje é o dono de seu próprio negócio.

Proprietário do Bar do Baixinho

Proprietário do Bar do Baixinho

Estou falando do Manoel Aranilton Queiroz, mais conhecido como Baixinho.

Vamos conhecer um pouco da história de sucesso do Baixinho no nosso programa.

Blog do Purcino:                 Baixinho, onde você nasceu e o que você fazia na sua terra natal até decidir vir para São Paulo?

Baixinho:                              Eu nasci em uma cidade no interior do Rio Grande do Norte em uma cidadezinha pequena chamada Doutor Severiano, uma cidade nova, que está fazendo 51 anos agora. Vim muito jovem para São Paulo a passeio visitar meu irmão que trabalhava aqui em São Paulo no Bar do Elias, que hoje já não existe mais.

Lá eu conhecei um vice-presidente do Corinthians que tinha um bar e estava com falta de pessoal e que era amigo do Elias. Os dois conversaram, o Elias me indicou e eu fui trabalhar com o Elvis no bar e acabei ficando lá quase 14 anos.

Nesse bar eu comecei dando uma força a todos, lavando copos, tirando as mesas, ou seja, era o auxiliar do auxiliar do garçom, que tem em todos os bares e restaurantes. E isso não foi demérito nenhum… eu aprendi muito. Estamos falando de 1.989

Blog do Purcino:                 Baixinho, tentando fazer as contas aqui você deve ter 44 anos de idade.

Baixinho:                              Eu nasci em 1.969 e nunca tive medo do trabalho. Sempre fui um batalhador, não tinha horário nem trabalho que me desse medo.

Blog do Purcino:                 E como você começou a crescer no trabalho? Acredito que deve ter treinado muito.

Baixinho:                              Realmente. Eu sempre me interessei por esse tipo de negócio e, dentre todas as atividades, eu sempre me interessei em aprender como tirar um bom chopp para os clientes. Daí fui fazer alguns treinamentos na Brahma, visitei a fábrica deles.

Blog do Purcino:                 Falando sobre isso, soube que com esse treinamento e essa vontade de sempre fazer o melhor, você hoje é considerado um dos melhores tiradores de chopp de São Paulo?

Baixinho:                              Foi aberto um projeto pela Brahma chamado Os Reis do Colarinho e escolheram para participar os melhores chopeiros de São Paulo. Estou falando do ano de 2.000

Eu fui acompanhar um rapaz chamado Milton que havia sido indicado pela Brahma. Ele me inscreveu no curso, eu fiz todo o treinamento e acabei recebendo o diploma com louvor. Ou seja, quando tem que ser seu, ninguém tira.

Entrevista no Programa Caminhos de Sucesso

Entrevista no Programa Caminhos de Sucesso

Blog do Purcino:                 Deixando a modéstia de lado, você é hoje o melhor tirador de chopp de São Paulo?

Baixinho:                              Eu, sinceramente, me considero um dos melhores tiradores de chopp de São Paulo.

Blog do Purcino:                 Quais são as dicas principais para ser um bom tirador de chopp, seja no bar ou em festas com a família?

Baixinho:                              Existem algumas dicas importantes.

a) O copo tem que estar super limpo e se possível gelado, dependendo da chopeira que estiver usando.

b) O gás precisa estar bem regulado, assim como a chopeira.

c) O barril tem que estar muito bem gelado, não depender só do gelo da serpentina.

d) Estar consciente que tem um pouco de perda, para ter o colarinhos de quatro dedos que é essencial.

Tem que estar consciente que de cada 50 litros você vai perder de 3 a 4 litros.

Baixinho e o melhor chopp Brahma da região

Baixinho e o melhor chopp Brahma da região

Blog do Purcino:                 Tem gente que, nas festas diz:  O chopp é comigo, eu sou o que sabe tirar o melhor chopp! Afinal, quanto tempo você demorou para chegar aonde você chegou?

Baixinho:                              Aprender mesmo a gente nunca aprende. Eu estou sempre vendo a qualidade do que estou fazendo e tentando melhorar para atender aos clientes. Não tem tempo estimado. É a experiência e a prática diária.

Blog do Purcino:                 Como e quando você decidiu deixar de ser empregado e passar a ser dono do seu próprio negócio?

Baixinho:                              Foi em 2003 que eu conheci um cliente chamado Ricardo que sempre comentou que gostaria de abrir um bar. Sabendo disso, eu o convidei para abrir um bar comigo na Lapa, onde hoje é o Bar do Baixinho. Cada um de nós dois entrou com 50% do capital e com o trabalho.

Blog do Purcino:                 Isso significa que com o seu trabalho de todos aqueles anos você já havia feito uma ótima poupança para abrir o seu próprio negócio?

Baixinho:                              Sim, e foi isso que me ajudou a abrir o meu próprio negócio. Ter a minha própria poupança.

Blog do Purcino:                 Novamente fazendo a conta do tempo, foram mais de 11 anos guardando dinheiro do seu trabalho como empregado até poder investir e abrir o seu próprio negócio. E depois, como foi ver o negócio do outro lado da mesa, como patrão?

Rua Clélia, esquina com Rua Duílio - Lapa

Rua Clélia, esquina com Rua Duílio – Lapa

Baixinho:                              É mais difícil. Como empregado a visão é uma, tem que fazer o melhor para o cliente. Como empreendedor a gente tem que insistir sempre, ser perseverante, avaliar o negócio, ver o que está dando certo, o que deu errado, tem a concorrência que está de olho em você e, por consequência, você não pode perder a concorrência de vista.

Outra coisa é manter o negócio no mesmo lugar para tornar-se conhecido.

O meu sócio, depois de um determinado tempo ofereceu-me sua parte na sociedade e eu comprei, e hoje sou o único dono do Bar do Baixinho.

 

 

 

Blog do Purcino:                 Quando a gente vai ao Bar do Baixinho a gente sente uma harmonia muito grande entre patrão, empregado e cliente. E você tem também familiares trabalhando no Bar.

Baixinho:                              Sim, eu tenho trabalhando no bar a minha esposa que está no negócio a uns 6 anos, o meu irmão que está comigo a 10 anos. Agora, todos, parentes ou não, são registrados em carteira. Não tem ninguém trabalhando com contrato verbal. Isso não dá certo.

E isso é bom porque depois de trabalhar mais de 20 anos de 12 a 14 horas por dia, hoje o trabalho pode ser dividido com pessoas de minha inteira confiança. Veja, eu levei mais de 10 anos para abrir meu negócio e já vão outros 10 anos com o Bar do Baixinho. Expandir o negócio é o próximo passo.

Blog do Purcino:                 Eu percebo quando vou ao seu Bar que vem muita gente de fora, não somente moradores ou trabalhadores da região. Estou certo?

Baixinho:                              Sim. Tem gente que vem da zona norte, zona sul, do Alphaville, Campinas, São Bernardo, Jundiaí. Quando a gente oferece um bom serviço, tem uma comida de qualidade e o Chopp Brahma bem tirado e bem gelado, ai ninguém deixa de voltar. Sempre vai indicar para um amigo. A propaganda boca a boca é importante.

Agora com a lei seca muitos trazem seus motoristas e temos um ponto de táxi bem em frente, além de termos contato com cooperativas de táxi para que todos possam ficar mais a vontade e disfrutar do ambiente, da comida e do bom Chopp Brahma.

E outra coisa, os meus colaboradores sabem quem gosta do que, qual mesa gosta de usar, qual prato e como prefere que seja o preparo. Isso é treinamento. Muito treinamento no dia a dia, trabalhar a percepção, não só o sorriso.

Blog do Purcino:                 Quem quer assistir um bom jogo também pode ir lá. Você tem várias TVs de plasma. Finais de campeonato, como fazer para dividir as torcidas?

Baixinho:                              Eu nunca tive esse problema. Como é um bar já muito conhecido, quem frequenta já se tornou amigo ou já se viu alguma vez. Então não dá problema. Até em final entre Corinthians e Palmeiras eu não tive problema.

Canapés com um chopp Brahma bem gelado.

Canapés com um chopp Brahma bem gelado.

Blog do Purcino:                 Quais são os pratos mais pedidos pelos seus clientes?

Baixinho:                              Hoje o carro chefe é o Galeto, a Picanha, o Bife de Chorizo Ancho.

Como porções tem os canapés, a Isca de Peixe, Picanha no Rechaud, o Frango a Passarinho, que é uma porção muito bem servida.

NR: Por falar em frango a passarinho, eu fiquei cliente do Bar do Baixinho por causa desse prato. A porção é bem generosa, feito com um tempero especial, crocante, e com pedaços suculentos. Como sou fanático pelo prato, adorei e fiquei. (Purcino)

A isca de peixe empanada também é deliciosa e, recentemente, saiu na Folha de São Paulo uma reportagem como o melhor Chopp da zona Oeste de São Paulo.

Blog do Purcino:                 Muita concorrência, muita gente tentando fazer mais, mas não consegue. Qual é o segredo?

Baixinho:                              Qualidade da comida, do atendimento, do chopp. Muita gente pergunta se o Chopp Brahma que sirvo no bar é o mesmo que é servido em outros locais. (risos…)  Claro que é o mesmo. O segredo é como tirar o chopp, e isso a gente não ensina… São anos de experiência. É o nosso know-how.

Blog do Purcino:                 Você pretende expandir o seu negócio?

Baixinho:                              No momento não. A marca já é patenteada, já pensei em abrir franquias. Mas ainda é uma ideia. Talvez no norte do país eu abra uma filial, ou em São Paulo. Mas ainda não é o momento.

Blog do Purcino:                 Meus amigos, eu apresentei hoje a história de um jovem empreendedor, um lutador, uma pessoa que veio à São Paulo para passar férias, visitar a família, começou a trabalhar em um bar em uma função simples, lavando copos, e hoje é dono de um bar conhecido e reconhecido em São Paulo, já saiu em várias reportagens nos principais jornais de São Paulo.

Fidelidade à marca e treinamento é o segredo do sucesso.

Fidelidade à marca e treinamento é o segredo do sucesso.

Outro fator importante de seu sucesso, como acompanhar na entrevista, é o seu cuidado com a qualidade do serviço prestado, qualidade da comida, da limpeza do local, da imagem do negócio e da sua própria, pois o negócio leva o seu nome.

Um item também importante é a fidelidade à marca. Aprendeu, treinou, persistiu e marcou na mente de seus clientes lá encontraremos o melhor Chopp Brahma da região.

Essa fidelização garante também o sucesso do negócio.

 

Parabéns Aranilton pelo seu sucesso.

Parabéns Baixinho e todos seus colaboradores pelo sucesso de vocês.

Publicado por J.Purcino, uma interpretação da entrevista do Baixinho no Programa Caminhos de Sucesso que foi ao ar no dia do aniversário de São Paulo, como homenagem aos empreendedores que fazem essa nossa cidade.

Todos os direitos reservados para Nacar Comunicação, Treinamentos e Sistemas de Performance.